A “guerra” da Google com as fake news sobre o Coronavírus no Youtube; Entenda

Perguntas sobre o coronavírus circulavam nos escritórios da Google. A empresa vinha sendo criticada pelo tratamento com vídeos que disseminavam notícias falsas e xenofobia no youtube, tendo um de seus funcionários em Zurique testado como positivo para o COVID-19.

Em meio a isso, o CEO da empresa, Sundar Pichai, enviou um memorando lembrando todos seus funcionários sobre o importante papel do Google como provedor de informações precisas e oportunas em tempos incertos. “Você me ouviu falar sobre ajuda no contexto de momentos grandes e pequenos. Este é um daqueles grandes momentos”, escreveu ele.

Desde que o COVID-19 começou a se espalhar, a Google interveio agressivamente em alguns de seus serviços on-line mais populares para limitar a disseminação de informações falsas. Uma ação importante para uma empresa que se baseou fortemente em softwares de automação para indexar e classificar informações verdadeiras e falsas ao longo de seus 22 anos de existência.

As pesquisas do Google agora relacionadas ao vírus acionam um “Alerta SOS”, com notícias de publicações importantes de sites com alta confiabilidade como, Folha de São Paulo, Jornal Época e o Ministério da Saúde. Por outro lado, pesquisas sobre a gripe, podem levar a twitts como o do presidente Donald Trump, que comparou o vírus a um resfriado comum.

 

Google “SOS” Alerta. Por: Google

 

Em resposta, a empresa alega que esta monitorando os resultados de busca e filtrando manualmente as informações apresentadas, no Youtube, também está removendo manualmente todos os vídeos que recomendam que as pessoas com sintomas do vírus não procurem ajuda médica. Caso você esteja com algum sintoma como febre, dores no corpo, vômito e tenha viajado para fora do País recentemente ou entrado em contato com alguém que esteve fora, procure ajuda médica o mais rápido possível.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here